CBN SaboresComida e bebida

Ateliê Wäls, em BH, quer revolucionar a cerveja

Ateliê Wäls, em BH, quer revolucionar a cerveja

wals Edy Fernandes Uma construção ousada mudou a paisagem do bairro de Olhos D´Água em Belo Horizonte. Inaugurado em 2 de junho, o Ateliê Wäls é o novo templo da cerveja artesanal da capital mineira e promete virar ponto de encontro dos apreciadores de receitas exclusivas e da cultura cervejeira. A convite da Ambev, estive na inauguração, que contou com menu elaborado pelo chef Felipe Rameh e com a apresentação da Orquestra Sinfônica de Ouro Preto, interpretando músicas dos Beatles.

Ali, a inovação está por toda a parte, a começar pela fachada, construída a partir de ferro, que ganhou cobertura de ripas de madeira fixadas não com pregos ou parafusos, mas com técnica de encaixe. Do lado de dentro, e alguns andares abaixo, um balcão recebe o visitante com 21 torneiras, que abrigam rótulos já conhecidos da marca e receitas exclusivas e ousadas.

Ouça o CBN Sabores sobre o tema:

wals2
Ateliê Wäls é o novo templo da cerveja artesanal da capital mineira

Atualmente, estão na lista a TT Saison, uma farmhouse ale desenvolvida em parceria com Thomas Troisgros, a Serra do Curral (Triple IPA), a Wáraná Maues (Indian Pale Larger), a Isabella Baby (Session IPA), dentre outras criações capitaneadas pelos irmãos José Felipe e Tiago Carneiro, que assumiram o negócio idealizado pelos pais há 17 anos. O preço dos chopes variam de R$ 8,90 até R$13,90, dependendo do estilo.

Para acompanhar, há um cardápio desenvolvido pelo chef Raoni Ribeiro e conta com petiscos e pratos como como o bolinho de arroz, pastelão, hambuguer, ceviche, carnes assadas (joelho de porco, paleta de cordeiro e galeto), massas e sobremesas. Comidas e bebidas podem ser degustadas no deck, em mesinhas protegidas por ombrelones e das quais se tem um bela vista da capital mineira, especialmente à noite.

Dirigindo-se para o lado direito da construção, o visitante se depara com muitos barris, que armazenam mais de 100 mil litros de cerveja. São 12 tipos de madeiras, desde as importadas como o carvalho francês e americano, até as nacionais como a umburana. A maioria já foi usada para envelhecer outros tipos de bebida, como vinho, whisky, cachaça e conhaque. Então, é aí que mora a graça do negócio. Dizem eles que esse é o maior barrel room da América Latina dedicado apenas ao envelhecimento de cervejas.

wals3
Os irmãos Tiago e José Felipe Carneiro, que assumiram o negócio idealizado pelos pais há 17 anos

Os jovens irmãos, que já usam o processo de envelhecimento há oitos anos, querem agora ampliar a oferta de rótulos diferenciados e inovadores no mercado, agregando novos aromas e sabores a seus produtos. Podemos esperar para breve pelo lançamento de cervejas de complexidades ainda inéditas. Falando em lançamento, em poucos dias eles devem colocar à venda o seu primeiro rótulo produzido pelo método champenoise, o mesmo que dá vida aos grandes champagnes do mundo.

Tanta inovação se não não apenas pela experiência adquiria ao longo do tempo, mas também pela associação com a Ambev, em 2015. Desde então, a dupla tem estado visitado diversos lugares do mundo para buscar conhecimento e inspiração para novas criações. Aliado a isso, ainda é preciso levar em conta toda o know how da grande empresa, que disponiliza a ela mais tecnologia de ponta e acesso a leveduras e outros ingredientes exclusivos.

“Lá atrás, no fim da década de 90 e começo dos anos 2000, tivemos a revolução do processo cervejeiro, com novas técnicas de refermentação. Inovamos utilizando ingredientes nacionais nas receitas, criando novos sabores e nos especializando. Agora, apostamos em uma evolução e queremos fazer isso junto com os nossos consumidores, em uma plataforma aberta e inovadora, que é o Ateliê Wäls. Não é novidade que buscamos fazer arte com a cerveja e de forma colaborativa” explica Tiago, destacando a iniciativa de envolver os consumidores no processo de elaboração dos rótulos.

José Felipe, que é o mestre cervejeiro da marca, ressalta o fato de a produção continuar sendo artesanal, levando sempre em conta a qualidade. “Estamos abrindo uma porta que dificilmente será fechada depois. Há oito anos temos usado a técnica de envelhecimento e aprimorado nossas receitas em barricas. Agora, vamos para este novo passo com a ampliação dos rótulos e técnicas, em um formato inusitado”, conta.

Wals - (Edy Fernandes) (2)

O Atelier Wäls conta ainda com uma loja que comercializa cervejas engarrafadas, taças, camisetas e outros itens ligados ao universo cervejeiro. A decoração dos quase dois mil m² remete a um ambiente industrial, com detalhes artesanais, como a cortina que dá toda uma bossa ao teto, elaborada a partir de mais de 100 mil rolhas.

O projeto do espaço é assinado pelo arquiteto  Gustavo Penna, o mesmo que idealizou o Memorial da Imigração Japonesa, na Pampulha, o novo Estádio do Mineirão e o Centro de Convenções do Inhotim. “Esse projeto só vem afirmar que cerveja e arte andam juntas, por isso criamos uma experiência completa, usando todos os sentidos. Entre os elementos deste universo cervejeiro explorados na construção do espaço, destaco o tonel desdobrado, que impacta o público logo na chegada, um balcão avermelhado na cor de uma cerveja IPA, cortinas e rosários de rolhas, luminárias de bolhas e milhares de garrafas dispostas em prateleiras exclusivamente projetadas”, afirma o profissional.

No mais, é dizer que se estiver em Belo Horizonte, não deixe de visitar. A experiência vale a pena!

Ateliê Wäls

Rua Gabriela de Melo, 566 – Olhos D’Água, Belo Horizonte
Funciona de terça a sexta, das 17h à meia-noite, e sábado e domingo, das 11h à meia-noite.
Telefone: (31) 3197-2450

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *