Comida e bebida

Kawa: conheci em primeira mão o novo japa da cidade

Kawa: conheci em primeira mão o novo japa da cidade

Após cinco longos meses de obra, abriu na quinta-feira passada, na comercial da 213 Sul, o Kawa, que quer dizer rio em japonês. “Queremos que os sabores e todo o conforto que planejamos neste ambiente fluam como as águas de uma nascente eterna e suave, proporcionando satisfação e momentos inesquecíveis a cada um de nossos clientes”, escreve na primeira página do cardápio o chef executivo da casa, Marcos Akaki.

O sushiman chegou a Brasília para trabalhar o Oma (411 Sul) e já estava com malas prontas para voltar a São Paulo quando foi convidado a participar desse novo empreendimento. Os sócios dele na empreitada são o jovem empreendedor Eduardo Takashi Togawa e José Afrânio Rios, que até dois anos atrás atuava como empresário do segmento hospitalar. Estive lá no segundo dia de funcionamento a convite de Akaki e vou contar pra vocês alguns detalhes.

A casa ocupa três lojas da comercial, nas quais funcionou por mais de 40 anos a mercearia Tokio. Em seguida, o ponto passou por algumas mãos até chegar à família ganhar projeto da Quality Arte Design e da Atrium Arquitetura.

Para mim, o primeiro atrativo é a fachada, que chama a atenção com suas ripas de madeira, usadas em projetos náuticos, posicionadas verticalmente de cima abaixo do pé direito. Para não quebrar a unidade e deixá-la mais imponente aos olhos de quem passa pela rua, a porta foi deslocada para o corredor entre os prédios da comercial.

Ao entrar, é possível identificar três ambientes: o balcão em frente ao sushiman, bem típico das casas japonesas, o salão principal e um espaço ao fundo, onde fica o balcão de robatas (espetinhos japoneses assados na hora) e o bar. No andar de cima, há ainda um salão com sushibar e duas salas exclusivas que lembram os tradicionais tatames. Elas podem ser unidas, oferecendo capacidade total para 16 pessoas.

A comida

Marcos Akaki morou no Japão por 14 anos. Ao voltar ao Brasil, trabalhou em algumas casas de São Paulo antes de chegar a Brasília, em 2016. É dele a concepção do menu, formado em sua maioria por pratos tradicionais da cultura nipônica. Alguns itens levam ingredientes diferentes dos tradicionais, como foie gras e azeite trufado. Cream cheese, no entanto, não é algo comum na casa, graças a Deus e ao bom senso.

Confira aqui o menu completo!

Para garantir o frescor de tudo que é servido, o chef executivo tratou de pinçar os melhores fornecedores de Brasília e de São Paulo. Aqui, os responsáveis por entregar os peixes e frutos do mar são a Peixaria Guará e a Ueda, já bastante reconhecidas pela qualidade.

Em minha visita, provei alguns dos pratos e fiquei feliz com o resultado que chega à mesa. Minha refeição começou com aquelas vieiras fumegantes que fazem sucesso também no New Koto. Mas aqui têm uma certa acidez no tempero que me pareceu bem interessante.

Na sequência, fatias cruas de vieiras, cauda de lagosta, barriga de salmão e lâminas finíssimas de carne de wagyu da Beef Passion apenas seladas foram servidas em cima de uma pedra de sal rosa. O contato com a superfície deu conta de realçar os sabores dos ingredientes e de cara já impressiona.

Também experimentei o tataki de salmão coberto com foie gras, crispy de tempura e molho teriyaki e niguiris de carapau, anchova defumada, salmão e tentáculos de lula. Um ponto a destacar é a delicadeza do arroz. Não é em todo restaurante japonês que a gente encontra esse item com sabor e textura perfeitos.

Para a sobremesa, escolhi o Tamago. A palavra japonesa que significa ovo nomeia a criação da My Cake Factory, empresa de esposa de Afrânio que tem parceria na criação dos doces da casa. A gema é, na verdade, uma calda de maracujá, e a clara, uma espécie de beijinho de coco numa textura mais mole. Combinação gostosa e diferente.

O menu conta com entradas frias e quentes, sequências de sushis, combinados, robatas para carnívoros e vegetarianos, tempuras, temakis, lamens, teppanyakis. Os valores começam em R$ 12. O combinado com 22 peças sai a R$ 84. Com o dobro de itens, R$160.

Para acompanhar, há drinques clássicos e criações exclusivas da casa, além da carta de vinhos assinada pela importadora Del Maipo. Provei o menu com o espumante Savian Rosato, do Vêneto, e casou muito bem. E claro que não poderiam faltar os saquês. A coleção reúne diversos rótulos importados que farão parte de degustações num futuro próximo.

Daqui a algumas semana, a casa passa abrir também para almoço, que terá menu executivo. Por enquanto, o serviço nesse horário se dá apenas aos domingos. Para o Dia dos Pais, há um menu especial formado por salada, carpaccio, bolinho de kani, combinado especial, risoto negro com tentáculos de polvo, cupcake, churros ou creme brulê de gengibre, por R$ 82.

 

Confira:

Restaurante Kawa
SCLS 213, bloco B.
Funciona de terça a sábado, das 19h às 23h30. Domingos, das 12h as 18h.
Reservas: 3256-9183
Instagram: @kawa_brasilia

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *